Segurança dos pets e aparelhos eletrônicos 1

Se para os seres humanos a ideia de um choque elétrico já assusta, quando se trata de um pet, a preocupação deve ser redobrada. O animal acaba sofrendo uma descarga ao brincar ou roer um fio de eletricidade. Dependendo da intensidade da corrente, o animal pode sofrer graves queimaduras na boca e até arritmia cardíaca.

Sintomas como a falta de ar decorrente de um edema pulmonar (acúmulo de líquido no pulmão) desencadeado pelo trauma. Entre as alterações causadas pelo choque elétrico estão os espasmos musculares, perda da consciência e queimadura bucal quando a descarga elétrica é transformada em calor.

O que fazer?

Ao identificar os sintomas, verifique se existe algum local na casa com os fios roídos. Se o bicho apresentar lesões na boca, lave a região com água corrente fria, utilizando apenas a corrente de água no local. Isto fará com que a temperatura da região diminua e o tecido sofra menos dano, além de evitar infecções. Leve o animal ao pronto-socorro ou fale com a sua clínica veterinária mais próxima.

Mas não para por aí. O veterinário conta que se o pet estiver com falta de ar, deve-se manter a cabeça e o pescoço esticados para facilitar a respiração até chegar ao hospital. “No local, será necessária uma suplementação de oxigênio. Além disso, tais atitudes garantem que o especialista aplique algumas medicações para estabilizar a dificuldade respiratória, diminuir a dor, a inflamação e evitar possíveis infecções.”

Prevenir é viver

Caso seu pet não possa ser observado o tempo todo, atente-se para não deixar fios elétricos ligados na tomada, colocar protetor nelas também ajuda. Gatos costumam tomar choque elétrico nas luzinhas das árvores de natal, é importante tomar cuidado quanto a isso também.

Outros itens que merecem a sua atenção são os fios que ficam em locais que você não alcança, mas o seu pet sim, como atrás de objetos pesados. As partes mais vulneráveis do fio são onde ele se une ao plugue ou ao eletrodoméstico. Estas não são facilmente escondidas por kits de proteção. Os espaços devem ser mínimos entre qualquer protetor do fio e os pontos de terminação. Verifique-os regularmente.

Segurança com aparelhos eletrônicos

Segurança dos pets e aparelhos eletrônicos 2

A prevenção passa também por equipar a sua casa com bons aparelhos eletrônicos. Isso não significa depender das melhores e mais caras marcas, mas sim garantir que seus eletrodomésticos, aparelhos de som, computadores e acessórios estejam dentro das normas do INMETRO e estejam instalados da forma adequada.

Instalar da forma adequada não é só seguir as dicas dos produtos, no manual, mas também pensar nas possibilidades que envolvem ter um cachorro ou gato. Esconder os fios, enrolá-los, usar equipamentos sem fio, etc, garantem a segurança de todos, inclusive de crianças pequenas.

Como socorrer um pet que levou um choque

Se o pet não permaneceu conectado, deve-se verificar se a boca ou a língua do animal apresentam sinais de queimadura.

Caso ele continue preso ao fio elétrico, não toque nele. Desconecte a tomada ou desative a rede elétrica. Observe se está consciente.

Se ele não estiver respirando, faça respiração artificial. Na hipótese de o coração não estar funcionando, comece uma massagem cardíaca. Aguarde os sinais voltarem para checar se há queimadura.

Todo animal que teve um episódio de choque elétrico deve ser observado por 2 a 3 horas quanto à dificuldade respiratória.