A displasia do cotovelo é uma anormalidade óssea da articulação entre os ossos do cotovelo (úmero, rádio e ulna), que provoca dificuldades de funcionamento e dor no membro afetado. A doença tem maior incidência nas raças de porte grande e gigante como o Pastor Alemão, Labrador, Golden Retrivier e Rottwieler além de ocorrer com maior frequência nos machos.

A patologia é causada devido a alterações ósseas que ocorrem durante a fase de crescimento do animal, surgindo os primeiros sintomas entre os 4 e os 8 meses de idade. Também nesta doença, a componente hereditária é elevada, estimando-se uma hereditariedade compreendida entre 25% a 45% dos casos.

Displasia do cotovelo em cães 1
Veterinária em Santo André, SP

Médica veterinária em Santo André, SP

Se a avaliação veterinária do seu cachorro não está em dia ou você tem dúvida sobre a saúde do seu cachorro já que ele parece muito ofegante, fale conosco!

Trabalhamos com especialistas em Endocrinologia, Oftalmologia, Oncologia veterinária. Atendemos todas as cidades da região metropolitana de São Paulo, nosso horário é flexível, das 9h às 21h durante a semana e das 9h às 17 aos sábados!

Fale conosco para marcar uma consulta

Sintomas da Displasia do cotovelo em cães

Um dos sinais mais precoces que pode fazer desconfiar da existência da patologia é o cachorro mancar temporariamente de um ou mesmo dos dois membros anteriores, claudicação essa que vai tendo uma frequência cada vez mais notória; além de relutância à flexão do membro ou mesmo sinais de dor quando se faz essa flexão de forma forçada. Outro dos sinais indicadores da patologia é o desvio dos cotovelos para baixo do peito e dificuldade em se levantar após o exercício.

Displasia do cotovelo em cães 2

Diagnóstico

O diagnóstico definitivo é realizado com o auxílio da Radiologia Veterinária, com um exame de raio x. A correção do problema pode ser cirúrgica, mas essa intervenção deve ser realizada em animais com até nove meses de idade.

Quanto mais jovem o animal for, melhor o prognóstico. Após essa idade, o tratamento recomendado é o paliativo com o uso de anti-inflamatórios e repositores articulares. Porém o prognóstico é reservado, pois o quadro evolui para uma artrose na articulação a qual geralmente é muito dolorida e irreversível.

Prevenção da displasia

Para tentar prevenir o problema, não devemos acelerar o processo de crescimento dos cães principalmente cães de raças predispostas a apresentarem a displasia do cotovelo. Forneça ração apropriada para a fase de vida do filhote e nunca faça suplementação com vitamina ou cálcio se não for recomendado por um médico veterinário.

Filhotes que mancam devem ser imediatamente examinados, pois quanto mais rápido o problema for diagnosticado melhores serão as chances de cura do seu animal.

Raças mais propensas a desenvolver

As raças mais propensas ao desenvolvimento da displasia em cachorro são, principalmente, as de porte grande como o Golden Retriever, Pastor Alemão, Buldogue Inglês e Labrador. Porém, atualmente não é descartada sua aparição em raças de menor porte, apesar de mais raras.