Os cães realizam uma série de atividades grosseiras – beber do banheiro, rolar em animais mortos e lamber suas bundas – mas comer cocô está no topo da lista de comportamentos nojentos.

Por que meu cachorro come cocô? 1

Se o seu cão prefere seu próprio banquinho ou prefere comer no esterco de outro animal, é um hábito desagradável que pode ser difícil de quebrar. Essa condição é tão comum em animais que tem um nome especial para descrever o comportamento de comer cocô – coprofagia. Se o seu amigo peludo tiver coprofagia, não se desespere ainda. Existem maneiras de desencorajar esse comportamento nojento enquanto você evita os beijos do seu cachorro.

Mas, vamos primeiro descobrir as razões por trás da coprofagia para ajudá-lo a determinar a melhor solução a longo prazo.

Comer cocô é natural para cães

Embora seja um comportamento desagradável, comer cocô é uma atividade totalmente natural para os cães. Embora os cães não realizem esse comportamento para obter nutrientes vitais como algumas espécies, como os coelhos, pode ser uma atividade necessária. Por exemplo, mães cadelas limpam seus filhotes, removendo resíduos fecais e urina. Uma vez que os filhotes mudam para alimentos sólidos e suas fezes firmam, a mãe pode não comer mais o cocô, mas os filhotes sim, já que tudo vai para a boca do filhote enquanto eles exploram seu mundo. 

Alguns cães acham o cocô de outros animais saboroso, especialmente fezes de felinos. Pode ser um desafio evitar que um cão procure guloseimas em formato de rolo de tootsie em uma caixa de areia recém-abastecida. Embora seja nojento, comer seu próprio cocô não representa um risco sério para a saúde dos cães, mas eles podem pegar parasitas intestinais e doenças nas fezes de outros animais. Para evitar a transmissão potencial de doenças, é melhor cortar esse comportamento pela raiz.

Fatos sobre cães que comem cocô

Embora comer cocô seja um comportamento natural em cães, existem algumas estatísticas que indicam que é mais provável que ocorra em certas situações. Dê uma olhada no potencial para uma chance maior de seu cão ser coprofágico:

  • A coprofagia é mais comum em famílias com vários cães. Apenas 20% dos cães em casas com apenas um cão exibiram esse comportamento, enquanto esse número subiu para 33% em casas com três cães. 
  • As cadelas, principalmente as fêmeas intactas, têm maior probabilidade de comer cocô do que os machos.
  • 92% dos cães que comem cocô preferem fezes frescas com apenas um a dois dias de vida.
  • 85% dos cães não comem suas próprias fezes, apenas as de outros cães ou animais.
  • Os cães que são contra-surfistas também têm maior probabilidade de comer cocô.

Razões médicas pelas quais os cães comem cocô

É muito mais simples diagnosticar e tratar os motivos médicos da coprofagia em cães. Como acontece com a maioria dos problemas, os motivos médicos são descartados primeiro, antes de recorrer aos instigadores comportamentais. Alguns dos problemas de saúde mais comuns que um cão pode comer cocô incluem:

  • Parasitas intestinais – um problema comum com filhotes, os parasitas intestinais podem prejudicar a nutrição, apesar de uma dieta de alta qualidade, que obriga um cão a comer suas próprias fezes ou de outros animais. Os filhotes geralmente nascem com lombrigas ou podem ser infectados pelo leite materno, portanto, um protocolo de desparasitação apropriado é vital para eliminar os parasitas que roubam a nutrição, as vitaminas e os minerais do seu animal de estimação. 
  • Dietas deficientes em nutrientes – dietas de baixa qualidade não fornecem a seu cão a nutrição adequada necessária para se desenvolver, o que pode levá-lo a comer fezes em uma tentativa desesperada de encontrar vitaminas, minerais e outros nutrientes suficientes. Para garantir que a comida do seu cão contenha os nutrientes necessários para uma saúde ideal, procure um produto que atenda aos padrões de
  • Doenças de má absorção – uma deficiência de enzima digestiva, também conhecida como insuficiência pancreática exócrina, pode criar problemas de má absorção em cães. Esta doença é caracterizada por fezes soltas e fétidas e perda de peso, e pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue relativamente simples.
  • Distúrbios endócrinos – a doença de Cushing, diabetes ou doenças da tireoide podem causar aumento do apetite, levando à coprofagia.
  • Drogas que aumentam o apetite – O uso de esteróides em cães tende a causar um aumento impressionante do apetite, que pode levar à coprofagia. 

A maioria dos problemas médicos que levam à coprofagia são bastante fáceis de diagnosticar, seja por meio de exames de parasitas, exames de sangue ou uma história completa. 

Veterinária em Santo André, SP

Médica veterinária em Santo André, SP

Se a avaliação veterinária do seu cachorro não está em dia ou você tem dúvida sobre a saúde do seu cachorro já que ele parece muito ofegante, fale conosco!

Trabalhamos com especialistas em Endocrinologia, Oftalmologia, Oncologia veterinária. Atendemos todas as cidades da região metropolitana de São Paulo, nosso horário é flexível, das 9h às 21h durante a semana e das 9h às 17 aos sábados!

Fale conosco para marcar uma consulta

Razões comportamentais pelas quais os cães comem cocô

Se o seu cão come cocô por uma razão comportamental, pode ser mais difícil diagnosticar e controlar. As razões médicas são frequentemente descartadas, deixando para trás essas possíveis razões comportamentais para coprofagia:

  • Comportamento natural – como mencionado, é perfeitamente natural que as mães ingeram as fezes e a urina de seus filhotes, enquanto os cães mais velhos simplesmente gostam do sabor das fezes de outros animais.
  • Ansiedade – A coprofagia associada à ansiedade é freqüentemente causada por punições severas por eliminação inadequada, forçando o cão a esconder a evidência de defecar dentro de casa. 
  • Confinamento restritivo – Cães que são confinados em pequenas áreas ou isolados por longos períodos de tempo podem recorrer à coprofagia para manter seu minúsculo recinto limpo, obter nutrição ou simplesmente por causa do tédio.
  • Falta de treinamento e supervisão – os filhotes geralmente comem suas próprias fezes ou de seus companheiros de ninhada enquanto exploram o mundo. Se estiverem confinados a uma caixa de parto ou cercado de exercícios, eles podem investigar, brincar e comer fezes. Como a coprofagia tende a atrair muita atenção, embora seja negativa, o comportamento pode ser reforçado.

A intervenção precoce da coprofagia causada por comportamento pode ajudar a evitar que essa atividade se torne um mau hábito.

Como fazer seu cachorro parar de comer cocô

Descobrir a razão por trás da coprofagia do seu cão é o primeiro passo para o manejo adequado. Assim que o diagnóstico for feito, você pode iniciar o tratamento adequado para interromper esse comportamento desagradável. O tratamento pode incluir:

  • Mudança de dieta – Uma mudança na dieta para um que é mais digerível, ou com uma fonte de proteína diferente, pode ajudar alguns cães obter uma nutrição adequada de seus alimentos, impedindo-os de se voltando para coprofagia.
  • Suplementação de enzimas digestivas – para cães com insuficiência pancreática exócrina, a adição de enzimas digestivas à comida irá decompor a comida para que seu corpo possa digeri-la adequadamente.
  • Produtos aversivos – adicionar um produto anti -gosto à comida do seu cão pode tornar as fezes menos atraentes.
  • Boa higiene – Ao coletar fezes em seu quintal imediatamente após o cão defecar, elimina a possibilidade de coprofagia.
  • Treinamento – Ensinar seu cão a “largar” ou “largar” pode ajudar a dissuadir seu cão de pegar um lanche enquanto caminha. Você também pode treinar seu cão para entrar em casa e esperar por um tratamento especial imediatamente após defecar, para que ele aprenda a vir para um petisco, em vez de encontrar o seu próprio.

Se você ainda está lutando para fazer seu cão parar de comer cocô, marque uma consulta com seu veterinário para um exame físico completo e um diagnóstico abrangente para descartar quaisquer razões médicas subjacentes.