A pancreatite em cães pode ser aguda ou crônica e varia em gravidade. Descubra como saber se seu animal está sofrendo dessa condição e o que fazer a seguir.

A pancreatite é definida como inflamação do pâncreas. Neste artigo, explicamos o que causa a pancreatite em cães, como ela se manifesta e qual o tratamento recomendado. Identificando que seu cachorro apresenta sintomas como a diarreia, vômito, dores, letargia e outros, leve ele à clínica veterinária e converse com um veterinário endocrinologista.

O que é pancreatite canina?

O pâncreas produz enzimas envolvidas na digestão de proteínas, carboidratos e gorduras no intestino delgado. Também produz o hormônio insulina, que ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue após uma refeição.

Em um pâncreas saudável, as enzimas digestivas permanecem inativas até atingirem o intestino delgado. Isso impede a autodigestão do tecido pancreático. No entanto, em casos de pancreatite, as enzimas são ativadas muito cedo, enquanto ainda estão no pâncreas. A autodigestão resultante do órgão leva à inflamação e à dor.

A pancreatite é frequentemente classificada como aguda ou crônica – pancreatite aguda é quando ela se desenvolve repentinamente, e pancreatite crônica é quando ela continua ao longo do tempo. Indivíduos com pancreatite crônica podem apresentar crises agudas.

Pancreatite aguda

A pancreatite aguda pode assumir uma forma edemaciada leve ou uma forma hemorrágica mais grave. A inflamação associada permite que as enzimas digestivas do pâncreas se espalhem para a cavidade abdominal, resultando em danos secundários ao fígado, dutos biliares, vesícula biliar e intestinos. 

Pancreatite crônica

Alguns cães que se recuperam de um episódio agudo de pancreatite podem continuar a ter episódios recorrentes da doença, que é então chamada de pancreatite crônica ou recorrente.

O que causa a pancreatite canina?

Existem várias causas possíveis para a pancreatite, mas são necessárias mais pesquisas para compreender totalmente a condição. Também não está claro por que alguns cães são mais propensos a desenvolver pancreatite, e o gatilho inicial de um episódio agudo em um indivíduo específico pode ser desconhecido.

Algumas das possíveis causas incluem:

  • Uma dieta rica em gorduras
  • Certos medicamentos, como esteróides
  • Condições metabólicas predisponentes, como diabetes ou hipotireoidismo
  • Trauma
  • Após cirurgia e anestesia

Uma dieta rica em gorduras é considerada um fator de risco, mas ocasionalmente o são as guloseimas com alto teor de gordura, mesmo que a dieta do seu cão seja geralmente bem balanceada. Evite alimentar seu animal de estimação com restos de alimentos gordurosos, como salsichas. O alto teor de gordura pode desencadear um caso de pancreatite aguda e enviar o proprietário e seu animal de estimação para uma viagem de emergência ao veterinário. Portanto, certifique-se de ficar de olho no que seu cão mastiga, especialmente se ele gosta de fazer buscas ou se a pancreatite já está em seus registros médicos.

Pancreatite em cães: sintomas e tratamento 9

Quais são os sintomas da pancreatite em cães?

Em casos leves de pancreatite em cães, os sintomas podem ser sutis e incluir letargia ou perda de apetite. Há sobreposição com muitas outras condições gastrointestinais, incluindo emergências cirúrgicas, como obstruções intestinais. No entanto, durante um episódio agudo dessa condição, é provável que você veja alguns dos seguintes sintomas:

  • Vômito
  • Diarreia
  • Desidratação
  • Dor abdominal
  • Falta de apetite
  • Letargia

Os cães costumam mostrar sinais de dor abdominal ao adotar a ‘posição de oração’ com a cabeça abaixada no chão e as costas em pé.

É importante entrar em contato com seu veterinário imediatamente, especialmente se dor ou vômito acompanhar os sintomas. Se não tratada, a pancreatite em cães pode levar ao choque e ser uma condição com risco de vida. Os diagnósticos veterinários geralmente incluem exames de sangue e ultrassom abdominal.

Diagnóstico e exames

Os exames de laboratório geralmente revelam uma contagem elevada de leucócitos; no entanto, uma contagem elevada de leucócitos também pode ser causada por muitas outras doenças além da pancreatite. A elevação das enzimas pancreáticas no sangue é provavelmente o critério mais útil na detecção de doença pancreática, mas alguns cães com pancreatite apresentam níveis normais de enzimas. Nos últimos anos, foi disponibilizado um novo teste pancreático que pode diagnosticar com precisão a pancreatite, mesmo se as enzimas pancreáticas estiverem normais. As radiografias podem mostrar alterações associadas à inflamação, especialmente na forma hemorrágica grave.

Os estudos de ultrassom geralmente fornecem um diagnóstico de inflamação pancreática ou peritonite local causada por essa condição. Infelizmente, alguns cães com pancreatite, especialmente pancreatite crônica, escaparão da detecção com muitos desses testes.

Consequentemente, o diagnóstico de pancreatite pode ser provisório ou presuntivo em alguns casos e baseado apenas em sinais clínicos e histórico médico. 

A pancreatite em cães é mais comum em certas raças?

A pancreatite pode afetar qualquer cão, mas certas raças parecem estar predispostas à doença:

  • Schnauzers em miniatura
  • Cocker spaniels
  • Poodles em miniatura
  • Dachshunds

Qual é o tratamento para pancreatite em cães?

O tratamento da pancreatite em cães depende se o seu animal está passando por um caso leve ou grave. Se o cão estiver com dor ou vômito, o veterinário prescreverá medicamentos para ajudar a controlar esses sintomas. Para casos graves, o cão pode precisar ser internado no hospital veterinário para controle da dor e fluidos intravenosos por alguns dias.

Uma vez que seu cão tenha sofrido um surto de pancreatite, são recomendadas mudanças na dieta a longo prazo, como a introdução de alimentos com baixo teor de gordura e o aumento da ingestão de água. Fale com o seu veterinário sobre as opções de dieta com baixo teor de gordura que eles recomendam e não inicie nenhuma dieta terapêutica sem orientação veterinária. A recomendação usual é que menos de 18-20% da energia metabolizável (EM) do seu cão deve vir da gordura se ele tiver um histórico de pancreatite. 

Quanto tempo leva para um cão se recuperar da pancreatite?

A maioria dos casos leves de pancreatite em cães desaparece dentro de alguns dias após a procura de tratamento veterinário. Para casos mais graves, você pode esperar até uma semana de hospitalização com um período de recuperação ainda mais longo.

Alguns dos sintomas da pancreatite são inespecíficos e também podem ser indicadores de outras doenças. É importante marcar uma consulta com o veterinário assim que notar quaisquer sinais, como vômitos ou redução do apetite. Você também pode ler nossos guias para descobrir o que pode causar vômito em cães e o que fazer se notar perda de apetite em seu cão.