O hipotireoidismo em cachorros é um uma doença endócrina muito comum. Ocorre quando a glândula tireoide não produz hormônios tireoidianos suficientes, o que interrompe o equilíbrio normal das reações químicas no corpo. O hipotireoidismo também conhecido como doença da tireoide hipoativa em cães. O tratamento e diagnóstico se dão a partir de uma consulta veterinária com um médico endocrinologista veterinário.

Localizada no pescoço, perto da traqueia, a tireoide produz tiroxina (T4), liotironina (T3) e outros hormônios importantes que são necessários para regular o metabolismo. Tanto em animais quanto em seres humanos, o metabolismo afeta a freqüência cardíaca, a temperatura e a taxa na qual as calorias são queimadas. Quando a tireoide está sub-ativa (hipotireoidismo), o metabolismo diminui e o corpo é desviado do curso.

O hipotireoidismo é mais comum em cães com idades entre quatro e dez anos. As fêmeas são mais afetadas do que os machos.

Veterinária em Santo André, SP

Médica veterinária em Santo André, SP

Se a avaliação veterinária do seu cachorro não está em dia ou você tem dúvida sobre a saúde do seu cachorro já que ele parece muito ofegante, fale conosco!

Trabalhamos com especialistas em Endocrinologia, Oftalmologia, Oncologia veterinária. Atendemos todas as cidades da região metropolitana de São Paulo, nosso horário é flexível, das 9h às 21h durante a semana e das 9h às 17 aos sábados!

Fale conosco para marcar uma consulta

Raças que tem mais chance de hipotireoidismo

Raças de médio e grande porte têm maior chance de desenvolver a doença do que raças menores, embora possa afetar qualquer cão. As raças geneticamente inclinadas para a condição incluem:

  • Pinscher Doberman
  • Setter irlandês
  • Pastor de Shetland
  • Golden Retriever
  • Dogue alemão
  • Old english sheepdog
  • Dachshund
  • Schnauzer miniatura
  • Boxer
  • Poodle
  • Cocker spaniel

Diferença entre Hipotireoidismo e Hipertireoidismo

Ao falar sobre condições da tireoide em cães, é importante entender a diferença entre esses dois. O hipotireoidismo é a falta de produção de hormônios da tireoide, enquanto o hipertireoidismo é causado pelo excesso de produção de hormônios da tireoide, que causa um estado constante de hiperatividade metabólica. Esta condição, ao contrário do hipotireoidismo, é relativamente rara em cães.

Sintomas de hipotireoidismo em cães

Os primeiros sinais de hipotireoidismo geralmente são inespecíficos e podem ser atribuídos a várias outras doenças comuns, o que significa que pode ser facilmente diagnosticado ou não ser detectado.

Os primeiros sinais incluem uma mudança de comportamento e personalidade. Por exemplo, um cão mais velho e de natureza leve pode repentinamente começar a exibir sinais de agressão. O ganho de peso é outro sinal precoce: o cão ganha peso mesmo que não esteja sendo superalimentado. Saiba mais sobre obesidade em cachorros e como saber o peso ideal do cão.

Outros sinais a serem observados incluem:

  • Letargia
  • Fraqueza geral do corpo
  • Alterações na pigmentação da pele
  • Intolerância ao frio
  • Frequência cardíaca reduzida
  • Pele e pelo secos
  • Infecções cutâneas recorrentes
  • Extrema queda de pelos
  • Queda de cabelo na região posterior, tronco e cauda
  • Falta de regeneração capilar

Sintomas adicionais, embora não tão comuns, podem incluir convulsões, infertilidade e problemas auditivos.

Infelizmente, os sintomas clínicos clássicos do hipotireoidismo não ocorrem até que 70% da tireoide já esteja danificada. Quando isso acontece, a tireoide não se regenera. É por isso que a detecção precoce do hipotireoidismo é tão importante.

Além desses sintomas comuns de hipotireoidismo em cães, algumas raças apresentam anormalidades adicionais, como espessamento da pele facial, função nervosa anormal, perda de libido, depósitos de gordura nos olhos e ceratoconjuntivite seca (KCS) ou olho seco.

Hipotireoidismo e comportamento

Muitos dos sintomas relacionados ao hipotireoidismo em cães são físicos, geralmente relacionados ao metabolismo. Em alguns cães, no entanto, pode causar alterações comportamentais. Há uma conexão entre comportamento anormal e problemas de tireoide em cães.

Alguns cães experimentam agressão não provocada, convulsões repentinas, mau humor, temperamento errático, medo, compulsividade, irritabilidade ou até ansiedade. De fato, quando se trata de hipotireoidismo canino, a ansiedade parece ser um problema cada vez mais comum.

Como meu cão desenvolveu hipotireoidismo?

As condições da tireoide não são incomuns em cães. Existem algumas causas principais.

Pensa-se que a destruição auto-imune da glândula tireoide (tireoidite linfocítica) cause até 80% dos casos. Isso ocorre quando o corpo vê erroneamente a glândula tireoide e seus hormônios como estranhos ou anormais; para se livrar da “ameaça”, o sistema imunológico cria anticorpos que atacam a tireoide, resultando em perda da função da tireoide.

Os 15-20% restantes das condições hipotireoidianas são o resultado de padrões genéticos familiares ou atrofia idiopática da tireoide. Atrofia idiopática significa que a tireoide é gradualmente danificada por uma causa que não é completamente conhecida. As biópsias descobriram que, à medida que o tecido normal diminui, ele é substituído por tecido adiposo, em vez de tecido novo e saudável da tireoide.

Outros fatores contribuintes podem incluir o seguinte:

  • Medicamentos: Certos medicamentos podem diminuir a produção de hormônio da tireoide.
  • Coleiras de cachorro: Coleiras de dentes, ou qualquer colarinho apertado, teoricamente podem causar danos extensos à tireoide, e a alta pressão diária no pescoço pode causar inflamação.
  • Consciência excessiva: a criação seletiva pode resultar em hipotireoidismo sendo transmitido para a prole.
  • Falta de exercício: A inatividade reduz a produção de hormônio da tireoide.
  • Hipotireoidismo secundário: o hipotálamo, a tireoide e a hipófise funcionam em conjunto. Quando o hipotálamo ou a glândula pituitária não está funcionando adequadamente, pode afetar a função da tireoide, o que resulta em hipotireoidismo secundário.

Diagnostico de hipotireoidismo em cães

Diagnosticar hipotireoidismo pode ser muito difícil, porque outras doenças imitam os sintomas. Além dos sintomas mais comuns já citados, o melhor é fazer um exame veterinário para identificar a doença na tireoide.

Para uma análise completa dos níveis de hormônio da tireoide no sangue do seu cão, os testes de base mais comuns são o T4 e o T3. Enquanto alguns veterinários podem realizar apenas uma contagem de T4, em alguns casos, pode ser necessário obter um perfil completo de anticorpos da tireoide para obter melhores resultados.

Mas, para diagnosticar com precisão uma condição da tireoide, seu veterinário também pode precisar realizar vários outros testes:

  • Avaliação: Pode ser necessário um hemograma completo (CBC), perfil químico e exame de urina para descartar outras condições.
  • Triagem da tireoide: para ver quanto da tireoide é afetada, podem ser feitos testes de diagnóstico adicionais. (As imagens da tireoide geralmente são realizadas apenas se houver suspeita de câncer – e os cães com câncer de tireoide geralmente têm uma massa palpável no pescoço.)
  • Biópsia: Se um tumor for detectado, pode ser necessária uma biópsia. (Felizmente, o câncer de tireoide é bastante incomum em cães, portanto esse teste raramente é necessário.)

Tratamento do hipotireoidismo em cães

O hipotireoidismo é facilmente tratável e não oferece risco de vida, desde que seja tratado. Mas, se não tratada, a doença afetará negativamente a qualidade de vida do seu cão.

A maneira clínica de tratar o hipotireoidismo é com medicamentos sintéticos de reposição da tireoide para compensar a função tireoidiana baixa. Dada uma ou duas vezes ao dia, a dosagem varia dependendo da gravidade da doença e da resposta individual ao medicamento.

Depois que o medicamento estiver no sistema do cão por um mês ou dois, os sintomas deverão começar a se resolver. A maioria dos cães pode finalmente retomar uma vida normal e saudável com a medicação continuada.

Por fim, lembre-se de que uma dieta equilibrada e de alta qualidade pode ajudar seu cão a manter uma boa saúde geral – da qual a saúde da tireoide faz parte. Pergunte ao seu veterinário sobre os melhores alimentos que você pode obter para as necessidades específicas do seu cão.

Existe uma cura para o hipotireoidismo?

O hipotireoidismo não é curável, mas é tratável.

O hipotireoidismo é contagioso para seres humanos ou outros animais?

Não. O hipotireoidismo é uma condição clínica, não uma doença contagiosa.

Qual é o custo para o tratamento do hipotireoidismo?

Após um diagnóstico definitivo, que inclui custos que dependem de sua clínica veterinária e localização geográfica, o hipotireoidismo é uma condição que deve ser tratada pelo resto da vida do seu cão. Medicação diária é necessária. Embora o custo possa ser relativamente barato (dependendo da dose e da marca), o custo ao longo da vida útil do cão aumenta. Os custos adicionais a serem considerados são exames de sangue periódicos para monitorar a doença, além de despesas com visitas ao consultório.

Cura do hipotireoidismo

Uma vez que seu cão é diagnosticado com hipotireoidismo, pode ser necessário realizar exames de sangue regularmente para monitorar os níveis de hormônio da tireoide. No início, esses testes podem ser realizados com mais frequência. Uma vez regulada a doença, esses testes geralmente são necessários apenas uma ou duas vezes por ano.

Certifique-se de acompanhar as alterações na saúde, aparência e comportamento do seu cão, e alerte seu veterinário sobre essas mudanças.

Alimentação para cachorro com doença da tireoide

O tratamento primário para o hipotireoidismo em cães é a terapia de reposição da tireóide (TRT), geralmente na forma de medicamentos administrados por via oral. A maioria dos cães com hipotireoidismo requer TRT para o resto de suas vidas. 

Embora a dieta não cause hipotireoidismo em cães, ela desempenha um papel no tratamento. Felizmente, a maioria dos alimentos para cães comerciais é formulada para atender aos requisitos nutricionais básicos de um cão, mas nem todos os alimentos são criados iguais. 

Aqui estão algumas coisas para procurar em um alimento para cães para problemas de tireoide: 

  • Rico em proteínas animais magras e de alta qualidade. A proteína é o nutriente mais importante para qualquer cão, pois suporta a massa muscular. Procure opções de proteínas magras para ajudar seu cão a manter um peso corporal saudável – coisas como frango, peru e peixe são ótimas opções.
  • Equilíbrio de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6. Muitos dos sintomas causados ​​pelo hipotireoidismo em cães estão relacionados à pele ou pelagem. Os ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 ajudam a melhorar e manter a saúde e a condição da pele e do pelo do seu cão, sem mencionar o fornecimento de vitaminas lipossolúveis e uma fonte concentrada de energia.
  • Níveis baixos a moderados de carboidratos digeríveis. Os cães têm uma capacidade limitada de digerir produtos vegetais, portanto, qualquer carboidrato na dieta de seu cão precisa vir de fontes altamente digeríveis, como grãos integrais e vegetais ricos em amido. Alguns veterinários recomendam dietas sem grãos para cães com hipotireoidismo, porque muitos grãos usados ​​em alimentos para cães são OGM. Se você escolher uma dieta com inclusão de grãos, verifique se eles são grãos não transgênicos.
  • Nutrientes de suporte da tireoide. Além de atender às necessidades de proteínas e gorduras saudáveis ​​do seu cão, procure uma receita rica em nutrientes que sustentam a tireoide, como iodo, ferro, vitamina A, vitamina B e ácido fólico. O fígado, por exemplo, é rico nesses nutrientes.
  • Sem aditivos artificiais ou cargas de baixa qualidade. Na maioria das vezes, os alimentos para cães feitos com ingredientes de qualidade premium tendem a estar livres de aditivos e enchimentos artificiais, mas nunca é demais verificar. Quando se trata de coisas como vitaminas e minerais adicionados, procure opções digeríveis e biodisponíveis, como minerais quelatados.

Prevenção de hipotireoidismo

O hipotireoidismo não é uma doença que possa ser evitada por si só, principalmente porque os gatilhos não são totalmente compreendidos. No entanto, você pode tentar minimizar o risco das seguintes maneiras:

  • Alimente seu cão com uma dieta saudável e equilibrada e minimize o consumo de alimentos processados e guloseimas.
  • Evite usar produtos domésticos e externos que contenham produtos químicos nocivos.
  • A partir dos cinco anos de idade, considere a verificação anual da tireoide do seu cão com um veterinário especialista em endocrinologia.

Existe uma vacina para hipotireoidismo?

Não existe vacina que impeça o hipotireoidismo em cachorro.

Conclusão sobre hipotireoidismo em cachorros

O hipotireoidismo em cães é um distúrbio comum, que ocorre quando a glândula tireoide não produz hormônios tireoidianos suficientes, de modo que o cão é incapaz de regular corretamente seu metabolismo. Embora possa ser difícil de diagnosticar, é facilmente gerenciável e não oferece risco de vida se tratado.

Uma doença ao longo da vida, o hipotireoidismo requer medicação e cuidados contínuos. Para maximizar a qualidade de vida do seu cão, conheça os sinais clínicos de hipotireoidismo e mantenha-se em dia com a assistência médica diária – desde a administração de medicamentos até a alimentação de seu cão com uma dieta nutritiva e agendamento de exames veterinários, conforme necessário.

Endocrinologista veterinário em São Paulo

endocrinologia veterinária: