Problemas oculares são levados muito a sério na medicina veterinária. Quando ouvimos que o olho de um animal de estimação está piscando, vermelho, inchado, irritado, parece brilhante ou produz secreção, incentivamos os donos de animais a irem diretamente à clínica veterinária para que seja avaliado. Às vezes, é apenas uma simples infecção ocular que pode ser tratada com antibióticos.

Mas, às vezes, pode ser uma doença ou lesão subjacente mais séria, como glaucoma, catarata ou úlceras de córnea. Esses problemas oculares mais avançados progridem rapidamente e, se não forem tratados, podem causar sérios danos ou cegueira. Úlceras da córnea são particularmente comuns na medicina de pequenos animais e, dependendo da profundidade, podem ser muito perigosas para o seu animal de estimação.


A córnea: a janela do olho

A córnea é a janela transparente que constitui a superfície frontal do olho. É composto por três camadas principais:

  1. Epitélio – uma fina camada de células na superfície externa da córnea
  2. Estroma – o principal tecido de suporte da córnea e constitui 90% de sua espessura
  3. Membrana de Descemet – a camada mais profunda e muito fina; do outro lado da membrana de Descemet está o humor aquoso, o fluido claro que preenche a câmara interna do olho

A superfície clara e externa do olho é chamada de córnea. É muitas vezes referido como o ‘pára-brisa’ do olho e uma córnea saudável é essencial para uma visão normal. Ela é composta de muitas camadas de células que são organizadas de maneira muito específica para que a córnea seja cristalina. As camadas externas da córnea são chamadas de epitélio e estão intimamente ligadas às camadas mais profundas chamadas de estroma. 

Uma das partes mais sensíveis do corpo, a córnea tem muitas terminações nervosas para a percepção da dor. No entanto, não contém vasos sanguíneos. Em vez disso, a córnea recebe oxigênio e nutrição das lágrimas que se espalham pela córnea quando o animal pisca.

Kethye Priscila Ortêncio, veterinária em Santo André

Especialista em Oftalmologia Veterinária

Veterinária Kethye Priscila Ortencio (CRMV 25832)

A nossa veterinária especialista em Oftalmologia Veterinária é formada pela UNESP, teom Mestrado em Cirurgia Veterinária com ênfase em Oftalmologia. Kethye pode ajudar a saúde do seu pet. Entre em contato.

O que é úlcera de córnea

As úlceras da córnea também podem ser chamadas de ‘arranhões’ ou ‘escoriações’ e são um problema ocular muito comum diagnosticado em animais de estimação. Úlceras são essencialmente feridas abertas dentro da córnea. Se a córnea de um animal ficar ulcerada, pode ser muito doloroso. A maioria das úlceras cicatriza em uma semana; no entanto, certos tipos de úlceras podem exigir procedimentos especializados para cicatrizar. Se uma úlcera infeccionar, pode evoluir rapidamente para uma ferida profunda ou perfuração. O que causa úlceras de córnea em animais de estimação?

Existem muitos motivos pelos quais um animal pode ter uma úlcera de córnea. Mais comumente, um animal desenvolve uma úlcera devido a um trauma – eles podem ser arranhados ao explorar o exterior, brincar com outro animal ou esfregar agressivamente os olhos. Um animal de estimação corre maior risco de ulceração da córnea se tiver uma doença subjacente, como deficiência de lágrima ou um cílio colocado de maneira anormal que pode estar esfregando na córnea. Animais braquicefálicos, ou “de cabeça curta”, como o cão pug ou o gato persa, têm maior risco de úlceras da córnea devido à maior exposição do olho e pouca cobertura do piscar sobre a córnea.

Fotos de úlcera de córnea em cães

Úlceras da córnea: às vezes graves, às vezes não

Uma úlcera de córnea é uma ferida ou abrasão na superfície da córnea. Uma  úlcera de córnea superficial  envolve apenas o epitélio superficial. Esta é uma lesão muito menos grave, mas ainda requer cuidados veterinários.

Uma  úlcera de córnea profunda  começa a envolver o estroma da córnea. A presença de uma úlcera de córnea profunda geralmente indica que uma infecção bacteriana está presente. A bactéria libera substâncias que degradam o estroma corneano, fazendo com que a úlcera progrida mais profundamente. Se a úlcera se estender até o nível mais profundo da membrana de Descemet, isso é conhecido como descemetocele e é considerada uma  emergência grave  devido ao risco de ruptura do olho. Se a membrana de Descemet se romper, o fluido dentro do olho vazará e poderá causar danos cegantes irreparáveis ​​aos olhos.

Causas: Trauma mais comum

Existem várias causas para as úlceras da córnea em cães, e elas ocorrem mais comumente devido a traumas no olho. Abrasões superficiais da córnea podem ocorrer por trauma físico ou químico, como:

  • Brincadeira áspera com outros cães
  • Correndo por vegetação densa ou bosques
  • Substâncias irritantes, como shampoo ou poeira / detritos
  • Infecção ou bactéria (menos comum)

Lesões mais graves na córnea podem ocorrer devido a lacerações, incluindo:

  • Um arranhão de gato ou um objeto pontiagudo

Úlceras da córnea também são comuns em certas raças ou cães com doenças subjacentes, como:

  • Olho seco, onde a diminuição da produção de lágrimas leva ao ressecamento da superfície da córnea
  • Raças braquicefálicas (face plana) com olhos proeminentes (como Boston Terriers, Pugs, Shih Tzus, Boxers e Bulldogs)

Sintomas da úlcera de córnea

Os sintomas das úlceras da córnea são dolorosos e você pode notar que seu cão está apertando os olhos, pateando ou esfregando os olhos. Outros sintomas podem incluir vermelhidão e secreção excessiva ou lacrimejamento. Úlceras superficiais geralmente não são visíveis a olho nu, e seu veterinário irá verificar a presença de uma úlcera com uma coloração especial chamada fluoresceína. Quando a mancha é colocada no olho, o corante adere à úlcera e produz uma fluorescência verde que identifica a presença da úlcera.

Tratamento: Medicação vs. Cirurgia

Úlceras de córnea superficiais simples curam sozinhas sem incidentes em 3-10 dias, dependendo do tamanho da úlcera. Enquanto o processo de cura ocorre, o tratamento para úlceras superficiais da córnea simples inclui colírios ou pomadas antibióticos para prevenir infecções, bem como analgésicos para aliviar o desconforto. Seu animal de estimação precisará usar uma coleira tipo E (cone) para proteger o olho durante o processo de cicatrização, pois o autotrauma no olho pode atrasar e complicar a cura.

No caso de uma úlcera de córnea profunda, um tratamento mais agressivo será necessário para evitar que a profundidade da úlcera progrida. Isso normalmente inclui vários colírios administrados várias vezes ao dia, bem como analgésicos e medicamentos antiinflamatórios por via oral. Em casos graves, pode ser necessário encaminhar a um oftalmologista veterinário para uma cirurgia da córnea para colocar um enxerto na úlcera para estabilizar a córnea e evitar a ruptura do olho.

Tratamento oftalmológico em cães

  • Problemas de visão em cães e sinais de cegueira
    Como seus pais de estimação, os cães podem perder a visão e enfrentar o desafio de ficar cego. Hoje, nossos veterinários Cordova explicam como detectar os primeiros sinais de deficiência visual em seu cão e o que você deve fazer se suspeitar que seu cão pode estar perdendo a visão. Os cães são animais verdadeiramente extraordinários […]
  • Cegueira em gato: tipos, causas e tratamentos
    O seu gato tem uma vida maravilhosa com todo o amor e atenção que você lhe dedica, quer passe o tempo rondando ao ar livre ou prefira aninhar-se no seu colo em casa. Apesar de seu cuidado, no entanto, existem algumas coisas que você não pode controlar como proprietário, incluindo a possibilidade de cegueira em […]
  • Beagles com olhos vermelhos e olho com sangue dentro da parte branca. O que pode ser?
    Muitos tutores se perguntam se é normal um Beagle ter os olhos vermelhos. A resposta é que, embora não seja normal, é muito comum. Na verdade, isso acontece tanto com os Beagles que alguns proprietários tendem a pensar que pode ser uma característica da raça. Quando os vasos sanguíneos na parte branca do olho (a esclera) ficam […]
  • Como lidar com as doenças nos olhos do Bulldog Francês
    Problemas oculares podem ser sérios para um Bulldog Francês. Os franceses não têm muito focinho para proteger os olhos de arranhões ou esbarrar nas coisas. Um focinho curto e outras predisposições genéticas podem fazer com que tenham problemas oculares frequentes. Se os olhos do seu Bulldog Francês estiverem vermelhos e lacrimejantes, eles estiverem piscando ou se […]
  • Problemas oftalmológicos em Border Collie
    Esteja você planejando comprar um Border Collie ou já possuir um, é crucial se preparar! Você não deve apenas preparar os vários equipamentos necessários para uma melhor saúde e cuidados, mas também deve aprender o que esperar deles. Afinal, os Border Collies têm características únicas, assim como todas as raças de cães! Com isso dito, você também deve se […]
  • Problemas oftalmológicos em Golden Retriever
    O Golden Retriever é uma das minhas raças de cães favoritas por sua aparência majestosa e personalidade alegre. Mas mesmo com as melhores características de um Golden Retriever, há coisas ruins a serem observadas. Infelizmente, esta raça de cachorro não é exceção às doenças comuns e doenças que os cães sofrem. Na verdade, os Golden Retrievers também são suscetíveis […]
  • Gato com olho vermelho: sintomas e o que fazer
    Se você notar vermelhidão na órbita do felino, ele pode ter sofrido um trauma no olho, uma alergia ou irritação, uma infecção viral como cinomose, uma infecção bacteriana, glaucoma, olho de cereja ou câncer. O olho vermelho em gatos pode ser um problema médico sério que pode piorar com o tempo, causando cegueira e posterior destruição […]
  • Olho de cereja em cães – fotos, o que é e como tratar
    Seu cachorro tem uma protuberância vermelha no canto do olho? Pode ser olho de cereja – um prolapso da glândula lacrimal da terceira pálpebra do seu cão. Veja como reconhecer os sinais de olho de cereja em cães para que você possa tratá-lo e reduzir os danos. Seu filhote pode derreter seu coração com um […]
  • Cachorro coçando o olho. Irritação, alergia ou outra doença? Entenda o que pode ser
    O seu cão pode ocasionalmente esfregar ou arranhar os olhos quando a sujeira ou um pequeno objeto estranho os irrita. Isso pode ser facilmente aliviado lavando o olho afetado com água ou solução salina. Você deve se preocupar se o seu cão está sempre coçando ou esfregando os olhos. Isso é indicativo de um problema potencial que pode […]

Cura da úlcera de córnea em cachorros

O acompanhamento com seu veterinário é necessário para determinar se a úlcera de seu animal de estimação foi completamente curada. Você deve continuar tratando seu animal de estimação com todos os medicamentos prescritos até que o veterinário indique que a úlcera está totalmente curada. Úlceras de córnea superficiais simples devem cicatrizar em 1-2 semanas ou menos, entretanto, em alguns casos, a úlcera pode demorar para cicatrizar.

Se a úlcera do seu cão não cicatrizar ou mostrar sinais de cura dentro deste período de tempo, isso indica que uma causa subjacente pode estar presente (olho seco, cílios direcionados de forma anormal, entrópio, etc.) ou que procedimentos adicionais podem ser necessários para facilitar cura da úlcera. 

Em cães mais velhos, úlceras de córnea crônicas que não cicatrizam (indolentes) são muito comuns e geralmente requerem procedimentos adicionais, como desbridamento com broca de diamante (veja a imagem abaixo) para estimular e facilitar a cura. Se a úlcera de córnea de seu animal de estimação não estiver cicatrizando de maneira adequada e uma causa incitante não puder ser identificada, seu veterinário pode recomendar o encaminhamento a um oftalmologista veterinário para cuidados especializados.