A visão é um sentido muito importante e, o animal portador de doenças oculares necessita de atendimento rápido e adequado. Alergias, infecções, traumas costumam ser alguns fatores que provocam doenças oculares e deixam muitos donos sem saber o que fazer.

Kethye Priscila Ortêncio, veterinária em Santo André

Especialista em Oftalmologia Veterinária

Veterinária Kethye Priscila Ortencio (CRMV 25832)

A nossa veterinária especialista em Oftalmologia Veterinária é formada pela UNESP, teom Mestrado em Cirurgia Veterinária com ênfase em Oftalmologia. Kethye pode ajudar a saúde do seu pet. Entre em contato.

Separamos neste artigo algumas doenças oculares mais comuns, pontuando os sintomas e tratamento veterinária mais indicado.

Cataratas em cachorros

Catarata em cães

Outra doença muito comum em cães é a catarata. E ao contrário do que muitos pensam, ela não afeta somente os cachorros mais velhinhos. Presente em qualquer idade, a catarata consiste na turvação do cristalino do cão, impedindo a visão do animal. Ela manifesta-se por causa genética, traumática, degenerativa ou por doenças metabólicas como a diabetes.

Sintomas da catarata veterinária

O sintoma mais comum é a formação de uma placa esbranquiçada no cristalino, impedindo a passagem de luz para a retina e consequentemente atrapalhando a visão do animal. Dependendo do grau de opacidade do cristalino o animal pode apresentar somente uma diminuição da acuidade visual ou pode apresentar-se cego.

Tratamento da catarata em cachorros

O único método eficaz de tratamento é a própria cirurgia, que remove essa opacidade do cristalino e re-estabelecendo a visão do animal. A cirurgia tem alto índice de sucesso, devendo ser realizada o quanto antes. Não é aconselhável que ele apresente-se cego para a procura de seu tratamento.


Clinica Veterinária em Santo André

Veterinária em Santo André

Há mais de 15 anos em Santo André, a Clínica Veterinária UAU UAU QUE MIA, visa oferecer o melhor em relação ao atendimento médico veterinário à seus clientes e pets. Nosso objetivo é ser referência em Endocrinologia Veterinária, Oftalmologia Veterinária, Oncologia Veterinária e Felinos, e para isso contamos com uma equipe extremamente capacitada e experiente nos respectivos temas.

Fale conosco e marque uma consulta

De maneira geral, para saber se o animal está com alguma das doenças oculares caninas , fique atento aos seguintes sinais: secreção, desconforto, olho vermelho, manchas brancas ou pretas nos olhos e coceira na região. Assim que observar um deles, limpe os olhos do pet com solução fisiológica e proteja para que o animal não agrave a situação devido a coceira que ele sentirá, para isso, utilize um colar protetor. Na sequência, procure o veterinário de confiança para obter o diagnóstico preciso


Glaucoma em cachorros

Glaucoma veterinário

Assim como no homem, o glaucoma é uma doença que leva ao aumento da pressão intraocular, prejudicando a irrigação da retina e nervo óptico e levando a cegueira agudamente.

Pode ocorrer por predisposição racial ou genética e secundário a outras doenças oculares.  As raças mais predispostas são basset hound, akita, cocker spaniel, poodle, boston terrier, buldogue francês.

Sintomas do glaucoma em cachorros

Os sintomas aparecem em etapas. No glaucoma agudo, o animal apresenta dor no olho acometido, vermelhidão, pupila dilatada e perda dos reflexos e visão.

No glaucoma crônico, o animal já encontra-se cego do olho acometido e haverá aumento do globo ocular gradativo e opacidade de córnea. Seu diagnóstico é realizado somente por um oftalmologista veterinário através da mensuração da pressão intra ocular, devendo ser realizado o mais rápido possível aos primeiros sinais do glaucoma agudo.

Tratamento de glaucoma veterinário

O tratamento consiste no uso de medicamentos para controlar a pressão intraocular. No glaucoma agudo, o tratamento pode salvar a visão. No glaucoma crônico, o tratamento tem objetivo de trazer conforto ao animal. Na maioria dos casos, a doença é bilateral e acomete o outro olho em um curto período de tempo, devendo ser monitorado frequentemente.


Úlcera de córnea em cachorros

Úlcera na córnea em cachorros

Comum em cães de todas as idades, a úlcera de córnea é uma erosão na córnea e pode ocorrer por vários fatores como trauma, infecção, mal posicionamento dos cílios, contato com substâncias abrasivas e secundária a outro doença ocular. Elas podem ser superficiais acometendo somente a superfície da córnea mas pode ser úlceras profundas acometendo mais camadas da córnea e levando até a perfuração ocular.

Sintomas da úlcera de córnea veterinária

O principal sintoma é a presença de sensibilidade do olho acometido, vermelhidão, aumento da frequência do piscar, lacrimejamento, mudança de comportamento, prurido ocular.  A manifestação de um desses sintomas deve ser levado em consideração assim como a necessidade de uma avaliação pelo médico veterinário.

Tratamento da úlcera de córnea

O diagnóstico da úlcera e sua gravidade sempre são feitos pelo médico veterinário. A maioria das úlceras superficiais apresentam boa evolução com tratamento à base de colírios específicos para cada caso. Já úlceras profundas tem um prognóstico reservado podendo necessitar até de tratamento cirúrgico para sua resolução. Em casos mais graves de úlceras o animal pode perder a visão do olho acometido.


Conjuntivite cachorro

Ceratoconjuntivite Seca – Conjuntivite em cachorro

A ceratoconjuntivite seca é uma das doenças mais corriqueiras em cães, ocasionada pela falta ou má lubrificação da superfície ocular, levando a inflamação da córnea e conjuntiva.

Podem ter diversas causas como imunológica, congênita, por efeito colateral de algumas medicações, por doenças neurológicas ou infecciosas. As raças mais predispostas são shih tzu, lhasa lapso, cocker spaniel, buldogue inglês, west highland white terrier, pug, yorkshire.

Sintomas da conjuntivite veterinária

Os principais sintomas são a formação de secreção ocular persistente variando de coloração acinzentada a esverdeada, perda do brilho da córnea, vermelhidão da conjuntiva, prurido ocular, pigmentação e vascularização da córnea em processos mais crônicos.

  • Aparecimento de secreção ocular com cores diversas, como verdes, brancas ou amareladas;
  • Perda do brilho da córnea;
  • Vermelhidão da conjuntiva;
  • Prurido ocular; 
  • Pigmentação; 
  • Vascularização da córnea em processos mais crônicos.

Tratamento da conjuntivite em cachorros

O tratamento consiste na aplicação de colírios específicos que estimulam a produção de lágrima pela glândulas lacrimais, e colírios que aumentam a lubrificação do olho. Dependendo da causa a doença pode ser transitória ou requer tratamento para o resto da vida.


Uveíte veterinária em cachorros

Uveíte canina

Doença comum, mas pouco conhecida, a uveíte é a inflamação do trato uveal do olho (íris, coróide, retina), responsável pela vascularização do olho. Muitas vezes, a uveíte ocorre secundariamente à infecções (bacterianas, virais ou fúngicas), doenças sistêmicas (hipertensão, tumores), doenças imunomediadas, ou mesmo por outras doenças oculares. Esta afecção não tem predisposição de raça ou idade, sendo todos susceptíveis.

As causas podem ser divididas entre locais e sistêmicas de uveíte. Exemplos de causas locais de uveíte são o trauma ocular e outras doenças no próprio olho, como catarata, úlcera de córnea e neoplasia intraocular.

Causas sistêmicas são doenças infecciosas (seja por vírus, bactéria, fungo ou parasita, por exemplo), autoimunes, metabólicas, neoplásicas sistêmicas ou metastáticas. Quando a causa da doença não é encontrada, denomina-se uveíte idiopática. Nos cães e gatos é o tipo mais frequente. Como a uveíte idiopática melhora com o tratamento à base de anti-inflamatórios, ela é comumente referida como uveíte idiopática/imunomediada .

Sintomas da uveíte em cachorros

Entre os principais sintomas, destacam-se vermelhidão no olho, dor intensa, prurido ocular, pupila contraída, formação de precipitados ou coágulos de sangue dentro do olho e alguns casos podem apresentar-se com diminuição da visão ou cegos.

Tratamento da uveíte canina

O tratamento da uveíte consiste em diminuir o processo inflamatório do olho com uso de colírios específicos para cada caso. A necessidade de alguns exames são necessários para o diagnóstico da causa da uveíte, assim como para o seu tratamento específico.

Na maioria dos casos o olho apresenta boa evolução ao tratamento adequado porém algumas sequelas poderão ocorrer em alguns casos.