O fígado é um dos órgãos que mais podem ser comprometidos em cães e gatos. Muitas doenças originadas nele são causadas por uma alimentação deficiente – seja pelo uso de ração de qualidade inferior, seja pelo consumo de comida humana.

Em nossa veterinária em Santo André já recebemos diversos pets apresentando este problema. Neste artigo você vai entender bem o papel do fígado na saúde de cachorros e gatos, as orígens das doenças e tratamento

Funcionamento do fígado

O órgão atua no metabolismo de carboidratos, gorduras e sintetiza proteínas. Ele é responsável também pela metabolização e excreção de drogas e toxinas, por isso sofre com o uso de medicamentos usados à longo prazo (mais de um ano). É necessário administrar essa medicação com o médico veterinário. Forma e excreta bile, que atua na digestão de gorduras e o seu funcionamento correto é importante para o sistema imunológico do animal.

Algumas infecções e anomalias podem causar problemas nos órgãos e quando acontecem no fígado caracterizam-se como doença hepática. A hereditariedade também pode contribuir para o desenvolvimento da doença.

Qualquer cão pode sofrer com doença hepática, mas algumas ração são propensas e merecem atenção em dobro, como o Doberman e o Schnauzer.

Sintomas das doenças hepáticas em cachorros e gatos

Quando há algo errado, o animal pode apresentar dor abdominal, diarreia, vômitos, falta de apetite – e perda de peso por consequência –, urina alaranjada, fezes de tonalidade mais clara (acinzentadas), problemas de cognição, e presença de cor amarelada na pele, mucosas e olhos. As doenças no fígado são silenciosas e quando apresentam sintomas geralmente já estão em estágio avançado, quando 75% ou mais da função hepática está comprometida.

É muito importante sempre observar e cuidar muito bem de seu cão, levando-o em consultar periódicas no veterinário. Caso sinta alguns sinais diferentes e estranhos, esteja em alerta para identificar algum tipo de doença.

Os principais sintomas de uma doença hepática canina são:

  • perda de apetite
  • cansaço
  • perda de peso
  • diarreia ou vômitos
  • sede em excesso
  • alteração na cor da urina (alaranjada)
  • alteração na cor das fezes (cinza pálida)
  • arritmia
  • desânimo, falta de interesse em brincar

Esteja sempre com atenção ao comportamento do seu cachorro e qualquer sinal diferente do normal, procure o veterinário!

Veterinária em Santo André, SP

Médica veterinária em Santo André, SP

Se a avaliação veterinária do seu cachorro não está em dia ou você tem dúvida sobre a saúde do seu cachorro já que ele parece muito ofegante, fale conosco!

Trabalhamos com especialistas em Endocrinologia, Oftalmologia, Oncologia veterinária. Atendemos todas as cidades da região metropolitana de São Paulo, nosso horário é flexível, das 9h às 21h durante a semana e das 9h às 17 aos sábados!

Fale conosco para marcar uma consulta

Causas da Doença de fígado em animais

Como o fígado desempenha muitas funções e trabalha junto a diversos outros processos do corpo, ele é suscetível a danos que podem ser causados ​​por vários fatores. Alguns dos mais comuns são:

  • dieta pobre ou desequilibrada
  • infecção bacteriana
  • traumas e acidentes
  • prescrição de medicamentos
  • substâncias nocivas no meio ambiente
  • durante a vacinação
  • inflamações (cinomose, hepatite, cirrose)
  • obesidade e diabetes

Portanto, manter a saúde em dia do seu cão poderá preveni-lo de doenças mais graves como a doença hepática canina.

Raças que tem mais chance de ter doenças hepáticas

Certas raças de cães, como Dobermans, Rottweilers, Yorkshire terriers e Cocker Spaniels, têm maior probabilidade de nascer com ou têm tendência a desenvolver problemas hepáticos específicos.

Sabe-se que algumas raças, como Bedlingtons e terriers brancos de West Highland, têm dificuldade em excretar cobre, o que pode afetar o fígado de um cão ou a hepatite associada ao cobre. Esta doença genética predispõe essas raças à doença hepática crônica caracterizada pelo acúmulo de cobre no fígado.

A hepatite crônica no Doberman Pinschers é uma doença hereditária associada ao cobre que afeta mais cadelas do que machos.

Diagnóstico das doenças de fígado

Baseado no histórico de saúde do bicho, sinais clínicos e exames laboratoriais. Normalmente são requisitados exames de sangue e ecografia.

Para certificar-se das suspeitas de uma doença hepática nos cachorros e gatos, diversos procedimentos podem ser realizados pelo médico veterinário.

Exames laboratoriais veterinários

Exames de sangue e urina, checagem de enzimas, radiografias e até biópsias estão entre a lista de análises que o veterinário poderá solicitar. Tudo para garantir que seu amigo de quatro patas possa receber o tratamento adequado e recuperar toda a vitalidade!

Doenças mais comuns

Hepatites tóxicas e medicamentosas: Causadas por envenenamentos, remédios ou intoxicações alimentares. Normalmente é grave e pode levar a óbito dependendo da dose do elemento tóxico.

Tumores de fígado

Ocorre com frequência em raças predispostas, como pastor alemão, labrador, rottweiler e poodle, ou em animais mais velhos. Dependendo do local, pode ser operado. Para tratamento de tumores, entre em contato sobre o atendimento de câncer em cachorros e gatos.

Hepatites infecciosas

A mais comum é a viral, prevenida com vacinação. Pode aparecer em cães de qualquer idade, sendo os filhotes os mais propensos a contaminação. Já a leptospirose causa uma das infecções hepáticas mais graves. Ela ocorre principalmente em cães e pode ser transmitida para o ser humano.

É imprescindível que o cão seja vacinado, além de prevenir outras doenças como, leptospirose, adenovirose e a hepatite. Enfermidades que podem levar a morte do animal. Também é importante fazer a higienização do ambiente que o animal frequenta, assim como seus brinquedos.

Os sintomas variam de acordo com a gravidade da hepatite e podem demorar até sete dias para aparecer, período em que os vírus ficam incubados no corpo do animal. Os sinais em cães adultos podem ser febre, apatia, falta de apetite, vômitos e diarreia, chegando até mesmo a conter sangramento em vômitos, fezes ou urina. É uma doença infecciosa apenas entre cães e não atinge seres humanos.

Lipidose hepática

Acúmulo de gordura no fígado, muito comum em gatos que passam por período de jejum e anorexia.

Obstrução biliar

Geralmente provoca retenção ou refluxo biliar, sendo causada por lama ou pedras na vesícula biliar. Muitas vezes vem acompanhada de pancreatite (inflamação do pâncreas), o que agrava o quadro. Tratada com medicamentos e cirurgia para a desobstrução e retirada do cálculo biliar. Pode levar à óbito se não tratada.

Doenças de fígado em cachorros e gatos: causas, sintomas e tratamento 7

Tratamento: A importância da nutrição

Se o seu cão for diagnosticado, você pode estar se perguntando como cuidar dele com doença hepática. O tratamento de qualquer doença hepática visa repousar o fígado e minimizar as funções relacionadas ao metabolismo de gorduras, proteínas, carboidratos e drogas. Controlar a ingestão nutricional de cobre pode beneficiar raças de cães predispostas a acumular níveis tóxicos de cobre no fígado. Quando seu cão tem doença hepática, é ainda mais importante alimentar a comida certa.

Para diagnóstico preciso e opções de tratamento, sempre consulte seu veterinário e peça que ele recomende a melhor comida para a saúde do fígado do seu cão.


Felizmente, a doença hepática pode ser efetivamente gerenciada e a progressão limitada. Muitos cães continuam a viver felizes, anos após o diagnóstico. A nutrição adequada e o diálogo contínuo com o seu veterinário são essenciais para gerenciar a doença hepática do seu cão.