O fígado é um órgão vital, localizado no abdômen, logo atrás do diafragma. O fígado tem um papel muito amplo na manutenção da saúde e metabolismo normais por meio de funções como:

  • Auxiliar na digestão (especialmente de gorduras);
  • Síntese de proteínas e hormônios;
  • Regulando o metabolismo de energia e proteína;
  • Metabolismo e eliminação de produtos tóxicos e residuais;
  • Regulação imunológica.

Há um suprimento sangüíneo direto do intestino para o fígado e, em parte por causa disso, o fígado é vulnerável a lesões tóxicas, pois qualquer veneno ingerido chegará rapidamente ao fígado. Os gatos também têm uma maior suceptibilidade porque carecem de algumas vias metabólicas no fígado que seriam capazes de lidar com algumas toxinas.

O fígado também pode ser afetado por uma variedade de distúrbios e outras doenças (por exemplo, diabetes mellitus , hipertireoidismo , linfoma ) às vezes também podem causar danos ao fígado.

O fígado tem uma enorme capacidade de reserva, o que significa que a insuficiência hepática real ocorre raramente, pois mais de dois terços dela devem ser gravemente afetados. O fígado também se regenera bem, o que significa que a recuperação geralmente é possível, mesmo após uma doença hepática grave.

Insuficiência do fígado

A insuficiência do fígado é mais um sintoma e consequência do que uma doença. A insuficiência hepática aguda ocorre quando mais de 70% de suas funções são perdidas repentinamente devido a uma perda maciça de tecido. O fígado do seu gato é o maior órgão interno.

A disfunção hepática é comum em gatos geriátricos. E algumas raças como o siamês são propensas a desenvolver doenças hepáticas. O sobrepeso e a obesidade são outros dois culpados.

Mais razões para a insuficiência hepática podem incluir venenos; produtos químicos ou drogas que são destrutivas para o fígado; fluxo limitado de fluidos para o fígado; a incapacidade de respirar; e exposição ao excesso de calor.

Outras causas incluem coágulos sanguíneos, choque e insuficiência circulatória aguda.

Existem muitos medicamentos usados ​​para tratar a causa primária. O tratamento dependerá da causa subjacente da doença hepática e de sua gravidade. Se o gato estiver sofrendo de doença avançada ou apresentando sintomas agudos, provavelmente precisará de hospitalização.

A fluidoterapia pode ser iniciada para prevenir a desidratação. Um tubo de alimentação pode ser necessário para garantir uma dieta rica em proteínas e vitaminas extras. Isso promoverá a cura e impedirá a formação de coágulos sanguíneos.

Sinais de doença hepática

Doença hepática em gatos

Os sinais de doença hepática em gatos são frequentemente muito vagos, como:

  • Inapetência
  • Letargia
  • Perda de peso

Dependendo da causa e da gravidade, outros sinais como febre, aumento da sede ou vômitos também podem ser observados. Em alguns casos, a doença hepática pode causar o acúmulo de líquido no abdômen (ascite); e com doença mais avançada ou grave, pode ser observada icterícia (amarelecimento das gengivas e da pele).

Ocasionalmente, com doença hepática muito grave ou com um ‘shunt’ (onde o sangue do intestino desvia do fígado devido à presença de um vaso sanguíneo anormal ou ‘shunt’), as toxinas que normalmente seriam tratadas pelo fígado podem atingir o cérebro. Isso pode causar comportamento anormal, desorientação, salivação excessiva e até mesmo cegueira ou convulsões.

Doença hepática em gatos 1
A icterícia pode ser um sinal de doença hepática – aqui, as membranas sob o olho parecem amarelas

Diagnóstico de doença hepática

Como os sinais clínicos da doença hepática costumam ser vagos e inespecíficos, geralmente são necessários exames de sangue e urina para identificar que a doença hepática é a causa subjacente. Várias anormalidades podem ser observadas em exames de sangue e urina:

  • Os níveis de bilirrubina podem estar elevados no sangue e na urina
  • As ‘enzimas hepáticas’ podem ser medidas no sangue – são enzimas que são produzidas nas células do fígado e, se houver danos no fígado (ou talvez obstrução ao fluxo da bílis), as concentrações dessas enzimas no sangue podem aumentar. Essas enzimas podem incluir:
    • ALT (alanina aminotransferase)
    • ALP (fosfatase alcalina)
    • AST (aspartame aminotransferase)
    • GGT (gamamaglutamil transferase)
  • Ácidos biliares – são produzidos pelo fígado e são importantes na digestão da gordura no intestino. Na doença hepática e onde há obstrução ao fluxo da bile, as concentrações de ácido biliar no sangue podem estar elevadas. Embora as enzimas hepáticas elevadas possam fornecer informações sobre danos ao fígado, o teste do ácido biliar geralmente fornece algumas informações sobre a função hepática.
  • Hematologia – observar os glóbulos vermelhos e brancos presentes no sangue – pode fornecer algumas indicações sobre possíveis infecções subjacentes ou inflamação no fígado.
  • Proteínas no sangue

Os resultados dos exames de sangue podem ajudar a confirmar a presença de doença hepática, mas pode ser difícil avaliar a gravidade ou a extensão da doença apenas com esses exames e eles não revelam a causa subjacente. Algumas das alterações sanguíneas também podem ocorrer com outras doenças, como diabetes mellitus e hipertireoidismo, portanto, exames adicionais também podem ser necessários para descartá-las.

A avaliação do fígado por raios-X (para avaliar o tamanho do fígado) e por ultrassom (para avaliar o tamanho e a estrutura do fígado e procurar qualquer evidência de obstrução ao fluxo da bile) pode ser muito útil para ajudar a restringir causas potenciais de doença hepática.

Biópsia de fígado

Freqüentemente, para determinar a causa da doença hepática e o tratamento mais adequado, uma biópsia hepática será necessária para que a amostra possa ser examinada por um patologista (e possivelmente também enviada para cultura para descartar infecções bacterianas). A obtenção de uma biópsia do fígado geralmente é simples, mas é importante primeiro certificar-se de que o sangue do gato coagule normalmente (pois o fígado produz as proteínas – ou fatores de coagulação – necessários para isso). A biópsia do fígado geralmente é realizada sob anestesia e pode assumir a forma de uma pequena biópsia cirúrgica ou mesmo uma simples biópsia com agulha.

Doença hepática em gatos 2

Veterinária especialista em gatos

Nós contamos com nossa veterinária especialista em gatos Dra Daisy Rodrigues CRMV-SP 29815. Ela é médica veterinária formada pela UNIABC, especialista em anestesia e felinos. A Clínica Veterinária UAU UAU QUE MIA atende tutores de toda a região metropolitana de São Paulo. Veja nossa especialidade e entre em contato.

Doenças hepáticas comuns em gatos

Os gatos podem sofrer de uma ampla gama de doenças hepáticas, razão pela qual uma biópsia hepática pode ser tão importante para determinar a causa subjacente e encontrar o tratamento mais adequado. Algumas condições importantes incluem:

Colangite neutrofílica

Esta é uma infecção bacteriana no fígado que causa inflamação. Geralmente é o resultado da migração de bactérias pelo ducto biliar e para o fígado a partir do intestino delgado. Às vezes, pode ser observada com doenças intestinais e pancreáticas concomitantes. O diagnóstico requer uma biópsia do fígado, bem como uma cultura da biópsia do fígado (ou uma amostra de bile da vesícula biliar).

O tratamento com antibióticos apropriados é necessário, mas o prognóstico geralmente é bom se o tratamento for iniciado imediatamente.

Colangite linfocítica

Esta é uma doença inflamatória não infecciosa do fígado. A causa é desconhecida, mas pode ser devido a uma anormalidade no sistema imunológico (doença imunomediada). A colangite linfocítica freqüentemente causa aumento do fígado e também pode causar acúmulo de líquido no abdômen. O diagnóstico é feito através do exame de uma biópsia do fígado.

O tratamento consiste em medicamentos antiinflamatórios e imunossupressores – geralmente corticosteroides. O prognóstico varia de acordo com a gravidade e, embora possa ser bom, alguns casos requerem tratamento prolongado ou para toda a vida e podem ocorrer recidivas.

Lipidose hepática

Esta é uma condição em que grandes quantidades de gordura se acumulam dentro das células do fígado – causa inchaço generalizado e danos ao fígado e pode causar disfunção grave. A lipidose hepática é vista mais comumente em gatos que param de comer repentinamente, especialmente se eles já estavam acima do peso. Uma mudança repentina no metabolismo desses gatos (causada pela anorexia) provavelmente causa o acúmulo de gordura. O diagnóstico pode ser confirmado por biópsia hepática.

O tratamento envolve a pesquisa de qualquer doença subjacente que possa ter causado ou contribuído para a lipidose hepática. O principal tratamento da doença hepática em si é através de suporte nutricional intensivo. Os gatos geralmente precisam ser hospitalizados e alimentados com dietas especiais por meio de um tubo de alimentação até que possam se alimentar novamente. Embora muitos gatos se recuperem com suporte intensivo, a recuperação pode levar meses.

Dano hepático tóxico

Os gatos são muito suscetíveis a danos no fígado causados ​​por uma ampla variedade de drogas ou toxinas comuns que podem ser bastante seguras em outras espécies. Isso ocorre porque os gatos não possuem algumas vias importantes para metabolizar algumas drogas e toxinas que estão presentes em outras espécies. Por causa dessa sensibilidade, é essencial que você sempre consulte o seu veterinário antes de dar qualquer medicamento ao seu gato. 

Tumores de fígado

Muitos tumores diferentes podem ocorrer dentro do fígado – alguns afetando apenas o fígado (tumores primários do fígado), alguns que se espalharam para o fígado de outro lugar (tumores hepáticos secundários). Infelizmente, muitos tumores hepáticos apresentam um prognóstico desfavorável, mas nem sempre é esse o caso e, com alguns tumores (por exemplo, linfoma ), a quimioterapia pode ser possível. Os tumores confinados a um lobo do fígado também podem ser passíveis de ressecção cirúrgica.

Amiloidose e peliose hepática

A amiloidose é uma doença em que um tipo de proteína (chamada amiloide) é depositada no fígado, causando perturbações e disfunções do fígado e predispondo o gato à ruptura hepática e sangramento no abdômen. Alguns gatos são geneticamente predispostos a essa condição.

A peliose hepática é uma condição incomum em que vários espaços cheios de sangue se desenvolvem dentro do fígado. Tal como acontece com a amiloidose, o fígado pode tornar-se muito frágil e pode ocorrer ruptura espontânea e hemorragia no abdómen.

Outras doenças hepáticas

Muitas outras doenças hepáticas também podem ocorrer, incluindo desvios portossistêmicos, toxoplasmose , peritonite infecciosa felina e outras.

Veterinária em Santo André, SP

Médica veterinária em Santo André, SP

Se a avaliação veterinária do seu cachorro não está em dia ou você tem dúvida sobre a saúde do seu cachorro já que ele parece muito ofegante, fale conosco! Trabalhamos com especialistas em Endocrinologia, Dermatologia, Oftalmologia, Ortopedia, Oncologia veterinária. Atendemos todas as cidades da região metropolitana de São Paulo, nosso horário é das 8h às 20h de seg. a sex. e das 9h às 14h aos sábados!

Fale conosco para marcar uma consulta

Tratamento de doença hepática

O tratamento da doença hepática depende muito de sua causa, razão pela qual testes adicionais, como uma biópsia hepática, são frequentemente necessários. Além de tratamentos específicos, o tratamento de suporte pode ser útil em muitos casos, incluindo fluidos intravenosos onde os gatos estão desidratados, suporte nutricional e medicamentos que podem ajudar a apoiar a função hepática ou a coagulação do sangue.

Doença hepática em gatos 3

COMO ARMAZENAR E CUIDAR DAS SUAS BATERIAS PARA QUE ELAS DUREM MAIS

Neste guia de bateria, você aprenderá como carregar e armazenar baterias adequadamente para evitar a perda de capacidade ou, pelo menos, como desacelerá-la.

Doença hepática em gatos 4

LIXADEIRA DE CINTA OU ORBITAL? QUAL É A MELHOR? VANTAGENS E DESVANTAGENS

Em termos de precisão, os modelos oscilantes são melhores e, quando se trata de eficiência, as lixadeiras de cinta ganham. Cada um dos aparelhos, no entanto, possui, na verdade, um fim um pouco diferente.

Doença hepática em gatos 5

GUIA DE COMPRA – QUAL LIXADEIRA ORBITAL COMPRAR?

Com a lixadeira orbital é possível alisar várias superfícies, e. madeira, metal, plástico ou mesmo concreto. Para que o trabalho corra bem, precisamos de equipamentos com os parâmetros corretos. Porém, quais são os mais importantes? Você aprenderá tudo de

Doença hepática em gatos 6

COMO RENOVAR MÓVEIS DE MADEIRA – LIXADEIRA, TRATAMENTO E PINTURA

Algumas coisas estão envelhecendo e precisam de um novo tratamento. Lixe, aplique tinta e pronto!

Doença hepática em gatos 7

COMO USAR PISTOLA DE PINTURA COM COMPRESSOR DE AR – COMO FUNCIONA PISTOLA DE PINTURA PNEUMÁTICA

Veja em detalhes como usar pistola de pintura e