Um dos animais mais adorados pelos povos egípcios juntamente com os gatos, o cãozinho da raça maltês conquista a todos com sua fofura, companheirismo e inteligência, sendo um bom amigo para todas as horas. Uma pesquisa realizada pela empresa Dog Hero, mostrou que a raça é a 7º mais popular no Brasil.

Em nossa clínica veterinária e pet shop em Santo André a raça maltês é uma das mais adoradas dos tutores. Confira aqui alguns artigos que já publicamos sobre esse pet maravilhoso:

Pensando em todo esse sucesso, separamos 10 curiosidades incríveis sobre a raça. Confira:

Um das raças mais antigas do mundo

O pequeno cachorrinho da raça maltês encanta a todos desde a antiguidade. De acordo com alguns registros, o cãozinho surgiu há 28 séculos atrás. A raça se originou em Malta, e seus ancestrais viviam nos portos da ilha. Com o tempo, a raça foi se popularizando pelo mundo, principalmente na Europa.

Cão com poderes mágicos

Os povos egípcios, assim como os europeus, acreditavam que o maltês tinha poderes mágicos, sendo capaz de curar pessoas doentes. A fé no possível poder do animal era tanta, que eles tinham o hábito de colocá-lo perto de pessoas com enfermidades. Além disso, uma estátua do cãozinho foi encontrada na cidade Fayum, no Egito. O totem indicava que o animal era adorado junto aos gatos.

Ele tem vários nomes

Embora o nome maltês seja o mais comum e popular, o cãozinho dessa raça já recebeu vários nomes ao longo de sua história, como: “cão leão maltês”, “maltês terrier”, “bichon” e “spaniel gentil”.

Foi citado por Aristóteles

O temperamento brincalhão e encantador do maltês conquistou até mesmo os filósofos. Aristóteles citou o animal quando ele fez uma lista sobre os cães da Grécia em 370 aC. É uma das primeiras pessoas a mencionar “Melitaei Catelli”, um parente precoce do cão maltês.

Entre os romanos ele era o “canes malitenses” em latim, que significa cão maltês. Os poetas romanos escreveram sobre um “pequeno cão branco”, identificado por alguns historiadores como um cão do tipo maltês antigo.

Um animal ligado as artes e a nobreza

Além da ligação com os filósofos, o cãozinho da raça maltês foi muito popular no mundo das artes, estando presente em vários movimentos artísticos. Entre os principais pintores a retratá-lo está o espanhol, Francisco Goya, e o britânico, Sir Joshua Reynolds.

O maltês foi visto no colo da realeza inglesa, sendo que Mary Queen of Scots e Queen Elizabeth I possuíam uma. Devido à sua herança nos palácios da realeza, os malteses foram criados comendo o melhor dos melhores e, consequentemente, são comedores muito exigentes.

Leais aos donos

Os cães da raça maltês tendem a ser muito amigos e leais aos tutores, sendo sempre muito amorosos e simpáticos. Esteja pronto para muitos “lambeijos” e longos momentos no colo. Eles podem agir de maneira desconfiada com estranhos, mas mesmo assim são educados. Além disso adoram a companhia de outros animais. O ideal é socializa-los logo cedo.

Tamanho não é documento

Cheios de energia, os cãezinhos dessa raça precisam de passeios diários e muita brincadeira, mas o tutor deve ter cuidado, o maltês tem uma personalidade destemida, enfrentando cães de todos os tamanhos. São muito curiosos, logo, deve-se ter cuidado com picadas de insetos e escorpiões no cachorro. Além disso, é um animal de competição, com perfil para participar do famoso “ability”, esporte para cães com saltos em obstáculos.Seja uma variação do maltês com pelos curtos ou pelos longos, a raça de cachorro exige cuidados com sua pelagem.

Não podem ficar sozinhos

Em geral, o cão da raça maltês não costuma destruir objetos, entretanto, ele pode desenvolver esse comportamento caso fique muito tempo sozinho. Por isso, ao tomar a decisão de ter um cãozinho dessa raça, o tutor deve estar ciente aos horários. Serviços de creche e daycare são ótimas opções caso o tutor trabalhe muito.

Saúde de ferro

Os cães da raça maltês costumam viver de 12 a 15 anos com uma ótima saúde. Mas alguns cuidados são necessários, especialmente com a alimentação. O maltês precisa de uma dieta balanceada e própria para raça, além das atividades físicas, para evitar a obesidade. Ainda, o tutor deve estar atento aos problemas cardíacos, já que alguns animais podem ter má formação do canal arterial. Logo, caso o maltês apresente cansaço excessivo e dificuldades na respiração, leve-o com urgência ao veterinário.

Temperamento do maltês

  • Adapta-se facilmente ao dia a dia de seu dono;
  • É bastante afetivo e ativo com seu dono;
  • Possui comportamento tranquilo (excelente cão de companhia);
  • Adora crianças (no entanto, devido ao seu pequeno tamanho, as crianças devem ser supervisionadas para que não o machuquem);
  • Adora latir (late alto e agudo);
  • Ótimo cão de alarme;
  • Adora receber atenção de seu dono;
  • É um cão bastante sociável e se dá bem com outros cães.