Seu cachorro vai passar por uma cirurgia? Caso você não conheça a preparação necessária antes de uma operação, vamos relatar a seguir alguns passos que devem ser seguidos antes de submeter seu animal de estimação a um procedimento desse tipo.

São muitos os motivos pelos quais um animal de estimação pode precisar de uma cirurgia veterinária em Santo André. Elas podem ser realizadas para curar alguma doença, por exemplo, no caso de o bichinho padecer de uma artrose grave ou ter um tumor.

Para atendê-los como parte de uma emergência veterinária (fraturas, acidentes etc) ou então como medida de controle de população. Seja por qual motivo for, a cirurgia requer que o corpo de seu animal esteja preparado para suportá-la.

Portanto, deverá ser feito um exame prévio à intervenção para poder determinar o melhor caminho a ser seguido, em especial em relação ao delicado processo de anestesia.

Cirurgias mais comuns em cães

Veterinária em Santo André, SP

Médica veterinária em Santo André, SP

Se a avaliação veterinária do seu cachorro não está em dia ou você tem dúvida sobre a saúde do seu cachorro já que ele parece muito ofegante, fale conosco! Trabalhamos com especialistas em Endocrinologia, Oftalmologia, Oncologia veterinária. Atendemos todas as cidades da região metropolitana de São Paulo, nosso horário é flexível, das 9h às 21h durante a semana e das 9h às 17 aos sábados!

Fale conosco para marcar uma consulta

Exames antes da cirurgia em cães

A revisão pré-cirúrgica é um exame físico que busca determinar a exata condição de saúde de seu animal de estimação, assim como definir um perfil analítico pré-anestésico de acordo com o tamanho, as características, o peso e o tipo do animal.

Os fatores que são verificados nesse tipo de exames são:

  1. Estado das mucosas e vias respiratórias do pet.
  2. Temperatura. febre em cachorro pode indicar a presença de algum tipo de infecção ou doença que esteja afetando o animal, e isso pode influir certas decisões que devem ser tomadas no momento de realizar a cirurgia).
  3. Peso. Um animal de estimação que esteja pesando menos do que deveria ou sofre de obesidade pode representar um fator de risco no momento da realização da cirurgia.
  4. Estado da hidratação. Isso é feito com a finalidade de determinar a quantidade de soro que deverá ser administrada para garantir a sua recuperação.
  5. Análise de sangue e urina, em especial para fazer uma avaliação do processo de anestesia que será mais compatível com seu animal de estimação.
  6. Checagem do coração e do pulmão. Isso é faz por meio de um eletrocardiograma e de uma avaliação do tórax, o que permitira verificar o exato estado do coração de seu animal de estimação, assim como checar se suas vias respiratórias e os pulmões estão funcionando de maneira apropriada.

Nesses exames são levados em conta aspectos como as disfunções arteriais, mau funcionamento dos rins, problemas hepáticos, respiratórios e problemas de coagulação, pois situações desse tipo tendem a agravar as operações.

Este tipo de análise é feita com a finalidade de tomar decisões melhores durante a cirurgia, de acordo com o metabolismo e as características de seu animal de estimação.

Também permitem detectar doenças que talvez não fossem conhecidas e dar a elas o tratamento adequado.

É possível, inclusive, chegar à conclusão de adiar a cirurgia com a finalidade de solucionar os problemas que foram indicados pelos exames pré-operatórios, pois, dessa maneira, reduz-se o risco d o animal sofrer qualquer tipo de complicação durante o procedimento.

Qual o melhor momento para realização dos exames?

Isso vai depender da urgência de que o animal depende do procedimento. Caso seja uma emergência e a vida ou a integridade do bichinho de estimação estiver em grave risco, o exame deverá ser feito no momento em que for decidido que a cirurgia será realizada, logo antes de entrar na sala de operações.

No caso de a cirurgia ter sido programada com antecedência, o exame deverá ser feito alguns dias antes do procedimento.

Você pode realizar os exames pré-cirúrgicos no dia em que programar a operação no animal, porém, deve ter em mente que isso deverá ser feito quando o animal se encontrar em jejum, pois o conteúdo nutricional dos alimentos afeta o resultado dos exames de sangue e urina.

O estado do animal também determinará se ele necessitará fazer alguns exames extras, uma vez que não representa o mesmo risco realizar uma intervenção invasiva em um animal de estimação com alguma doença e um procedimento em um cachorro bem de saúde que tenha sofrido apenas uma fratura.

Nos gatos, em geral, também são realizados exames de leucemia e imunodeficiência devido à predisposição da espécie e ao risco de contágio que apresentam.

Não se esqueça de levar o resultado dos exames no dia da cirurgia. Isso dará um panorama completo do estado de saúde do seu animal de estimação ao veterinário, além de facilitar o trabalho do profissional e permitir a ele se concentrar exclusivamente na intervenção, descartando alguns dos fatores de risco.

Quais cuidados devo ter antes da cirurgia?

Se a cirurgia não for uma emergência pode ser bastante útil tirar uns dias de folga para que possamos tomar conta do nosso animal durante o período de recuperação. O risco de quaisquer complicações durante e após a cirurgia tem reduzido bastante devido à utilização de técnicas cirúrgicas inovadoras e à segurança das anestesias praticadas.

É muito importante que o animal tenha as vacinas em dia antes da cirurgia, uma vez que o stress pós-cirúrgico pode reduzir a resistência do sistema imunitário para as doenças infecciosas. Para reduzir o risco de vómito quando o animal está sob anestesia geral, deve ser retirado o alimento cerca de 12 horas antes da intervenção cirúrgica.

No entanto o animal deve ter sempre água à disposição até ao dia da cirurgia.

Como é a preparação para a cirurgia?

A Clínica Veterinária realiza as cirurgias de rotina durante o período de fim da manhã ou ao início da tarde. O animal deve ser entregue de manhã e é muito importante que chegue à hora marcada, para que haja tempo para os procedimentos pré-anestésicos.

Num dos membros anteriores será rapado uma pequena área de pelo, de modo a colocar um cateter na veia, para que lhe seja administrado soro e medicações endovenosas. Quando entregar o seu animal será pedido que assine um documento, atestando que tem conhecimento e concorda com a cirurgia e anestesia a realizar.

Quando é que o meu animal pode ter alta?

Quando o seu animal for admitido para cirurgia, ser-lhe-á pedido que confirme o seu contato e será informado a que horas poderá ligar para ter informações acerca do seu animal. Após cirurgias de rotina, a maioria dos animais poderá ter alta algumas horas após despertar da anestesia. Alguns animais poderão demorar mais a recuperar e só poderão regressar a casa quando estiverem totalmente conscientes.

O veterinário vai informá-lo quando é que o animal poderá comer e beber de novo, quais as medicações a administrar e quando, e se será ou não necessário voltar para tirar pontos.

Como vou tratar do meu animal em casa?

Mantenha o seu animal quente durante o trajecto para casa. Em casa deverá mantê-lo num local sossegado e aquecido até que ele recupere totalmente.

Os gatos devem ser mantidos dentro de casa (sempre com acesso a uma caixa de areia) e os cães não devem ser levados a passear nas 24 horas seguintes (devendo sair apenas para fazer as necessidades).

Tente manter o seu animal o mais calmo possível, porque movimentos bruscos podem rasgar as suturas. Idealmente os gatos devem ser confinados a casa e os cães passeados à trela até que os pontos sejam retirados. O veterinário deverá prescrever anti-inflamatórios, antibióticos ou outras medicações para manter o seu animal confortável e prevenir infecções.

O meu animal vai ficar doente após a anestesia?

É bastante comum que o animal pareça cambaleante durante algumas horas após a anestesia geral. Pode inclusive dormir mais e mais profundamente e poderá ter dificuldade em manter-se de pé.

Se o animal tiver fome, pode dar-lhe uma pequena quantidade de comida. Ocasionalmente poderá sentir-se enjoado e vomitar. Se isto acontecer deverá colocar água à sua disposição e não o alimentar nas próximas 24 horas.

Durante a anestesia, é colocado um tubo para o ajudar a respirar, o que pode causar irritação na traqueia e causar tosse durante uns dias.

A que devo prestar atenção após a cirurgia?

Se o seu animal continuar apático ou se mover de modo instável, após as 24 horas iniciais, deverá ligar ao veterinário para aconselhamento. Se os pontos se soltarem ou rasgarem, ou se houver alguma convulsãovómitosinchaçoscorrimento ou hemorragias da zona da sutura deve entrar em contato com o veterinário imediatamente.

Como se pode evitar que o animal arranque os pontos?

A maioria dos animais vai tentar lamber as feridas/ suturas, mas eventualmente habituar-se-ão aos pontos. As feridas cicatrizam depressa se forem mantidas limpas e secas, em contato com o ar. Evite tapar as feridas e sempre que vir o seu animal a lamber as feridas, impeça-o. Se ele persistir em querer tirar os pontos, deverá colocar-lhe um colar isabelino em volta do pescoço e cabeça, para impedir que o faça.