De filhotes a cães que tomam insulina para diabetes, a hipoglicemia é um risco muito real e também extremamente perigoso. Independentemente do estado de saúde do seu cachorro, é importante conhecer os sinais de hipoglicemia para que possa intervir rapidamente.


Cachorro com baixo açúcar no sangue: o que fazer 66

O que é hipoglicemia em cães?

O termo hipoglicemia se refere ao baixo teor de açúcar no sangue ou glicose na corrente sanguínea do seu cão. A glicose é uma fonte essencial de energia para as células do seu cão, especialmente as células do cérebro. Ele pode ser criado dentro do corpo a partir de certos nutrientes e pode ser derivado dos carboidratos dos alimentos. 


Veterinária em Santo André, SP

Médica veterinária em Santo André

O checkup do seu cachorro ou gato não está em dia? Tem alguma dúvida sobre a saúde do seu pet? Marque uma consulta! Trabalhamos com especialistas em Endocrinologia, Oftalmologia, Ortopedia, Oncologia veterinária, dermatologia veterinária em Santo André.

Atendemos todas as cidades da região metropolitana de São Paulo.
Segunda à sexta das 8h às 20h e sábados das 9h às 14h!

O que causa hipoglicemia em cães?

Em filhotes, grandes quantidades de calorias são necessárias para atender às demandas de energia para o crescimento e o desenvolvimento. Isso significa que muita glicose é necessária para os filhotes em comparação com os adultos. Filhotes de brinquedo e de raças pequenas com menos de quatro meses de idade correm grande risco de se tornarem hipoglicêmicos se não comerem várias refeições pequenas ou lanches ao longo do dia.

Quando não há glicose suficiente para realizar certas funções, o fígado libera uma forma armazenada de glicose chamada glicogênio. Este composto pode ser decomposto em glicose. Se o fígado ficar doente devido a uma inflamação grave, infecção, um shunt hepático ou câncer, isso pode afetar negativamente os níveis de glicogênio. Isso significa que os cães que estão em jejum e não recebem glicose através da dieta terão hipoglicemia. Também existe uma doença hereditária chamada doença de armazenamento de glicogênio, que ocorre quando há muito glicogênio, mas não o suficiente da enzima disponível para quebrá-lo em glicose.

Quando certas toxinas são ingeridas, como o xilitol (o ingrediente adoçante artificial encontrado na goma de mascar), isso causa a liberação de insulina do pâncreas. A insulina é um hormônio que ajuda a transformar a glicose em energia e ajuda a armazenar o restante para uso posterior. Quando muita insulina está presente, isso causa hipoglicemia. Overdoses acidentais de insulina em cães diabéticos terão o mesmo efeito, e um tipo específico de tumor pancreático chamado insulinoma também resulta em níveis muito elevados de insulina sendo liberados no sangue.  

Para mães que amamentam, é possível desenvolver hipoglicemia porque a demanda por glicose é muito alta na produção de leite para filhotes, principalmente se a ninhada for maior que quatro filhotes. E em uma condição chamada de doença de Addison, onde há baixos níveis de cortisol, a hipoglicemia é uma possibilidade.  


Cachorro com baixo açúcar no sangue: o que fazer 67

Sintomas de hipoglicemia 

Cães com baixo teor de açúcar no sangue podem parecer um pouco cansados ​​e a hipoglicemia severa pode causar letargia severa, especialmente em cachorros muito jovens. Se você tem um filhote pequeno que está letárgico ou não responde, é importante ir ao hospital veterinário imediatamente. 

A hipoglicemia também pode causar sinais neurológicos, como tremores, tropeços e tonturas. Em casos de hipoglicemia grave, é possível começar a ter convulsões. Para cães com causas subjacentes de hipoglicemia, como diabetes e doença de Addison, pode haver outros sinais clínicos, como aumento da sede, aumento do apetite e aumento da micção. 

Tratamento para hipoglicemia em cães

Quando os pacientes apresentam hipoglicemia, os veterinários trabalham para fornecer glicose suplementar. Isso pode ser feito com alimentos para casos leves e casos graves geralmente recebem glicose injetável por meio de uma injeção que é administrada diretamente nas veias. Assim que o paciente estiver estabilizado, o teste é realizado para encontrar a causa da hipoglicemia.

O exame de sangue pode verificar os níveis de glicose e também procurar sinais de infecção e doença hepática. Raios-X e ultrassom abdominal podem ajudar a descartar sinais de doença hepática e câncer, embora os insulinomas possam ser um pouco mais difíceis de diagnosticar apenas com base em raios-x. Se houver suspeita de doença de Addison, um exame de sangue especial denominado teste de estimulação com ACTH é recomendado.

Se um paciente ingeriu algo tóxico como o xilitol, a hospitalização e a fluidoterapia serão aspectos importantes do tratamento. A glicose no sangue deve ser verificada regularmente, por meio de um glicosímetro ou de um monitor de glicose contínuo (FreeStyle Libre). Se ocorrerem convulsões, o veterinário pode intervir com medicamentos anticonvulsivantes. Para cães com implantes de fígado, a cirurgia geralmente é necessária para fechar o implante. Cães com insulinomas também requerem cirurgia, mas também podem requerer terapias adicionais de um oncologista para prevenir a propagação do câncer.


A hipoglicemia pode afetar quase todos os cães, e é importante saber quando o filhote fez a última refeição. Filhotes que passam várias horas sem comer são os mais suscetíveis à hipoglicemia. A hipoglicemia grave pode causar sinais clínicos potencialmente fatais e pode ser fatal se não for tratada. Frequentemente, a intervenção de emergência é necessária para pacientes com hipoglicemia moderada a grave.


Você tem um cão diabético? Quer saber mais sobre como testar o açúcar no sangue em cães?…
Quantos anos vive um cachorro com diabetes? Depende… Muitos cães que apresentam  sintomas de diabetes  e são diagnosticados…
A resposta é sim, Pugs podem comer frutas com moderação. Frutas tem vitaminas e minerais que…
Pessoas com excesso de peso têm maior probabilidade de ter cães acima do peso, em parte…
“Hipertireoidismo” – é apenas uma maneira elegante de dizer que seu gato tem uma glândula tireoide…
Texto de introduçãoVeja como proteger seu animal de estimação dos perigos da obesidade e ajudá-lo a…
Você notou inchaço ou inchaço no estômago do seu cão? O abdômen inchado em cães pode…
O hiperadrenocorticismo também é conhecido como doença de Cushing ou síndrome de Cushing. Seu tratamento está…
  • Categoria do post:Endocrinologia / Cachorros
  • Última modificação do post:13 de dezembro de 2023
  • Tempo de leitura:8 minutos de leitura

Keila Renata Ortêncio

Dra. Keila Renata Ortêncio (CRMV-SP 14352) é formada na UNIRP – Centro Universitário de Rio Preto e pós-graduada em Endocrinologia Veterinária pelo Instituto Universidade Brasil (Qualittas), Dra. Keila é a proprietária e responsável pelo serviço de Endocrinologia Veterinária, oferecendo cuidados especializados a animais com distúrbios endócrinos.